Hillary reclama de críticas à ação dos EUA no Haiti

A secretária de Estado norte-americana, Hillary Clinton, disse hoje que "se ressente profundamente" pelas críticas internacionais à resposta dos Estados Unidos ao terremoto do dia 12 no Haiti. Segundo ela, seu país está fazendo o possível para ajudar.

AE, Agencia Estado

26 de janeiro de 2010 | 15h19

"Eu me ressinto profundamente daqueles que atacam nosso país, a generosidade de nosso povo e a liderança de nosso presidente na tentativa de responder às condições historicamente desastrosas após o terremoto", afirmou Hillary a funcionários do Departamento de Estado. Ela falou durante um evento para marcar seu primeiro ano no posto.

Hillary não mencionou nenhuma crítica específica. Ainda segundo ela, "parte da imprensa internacional ou não entendeu ou interpretou deliberadamente de modo errado" a decisão de Washington de enviar tropas, além de civis, para o Haiti.

No domingo, Guido Bertolaso, chefe do serviço de proteção civil na Itália, criticou a falta de auxílio coordenado internacional no Haiti. Segundo ele, os EUA têm "muitos funcionários" ali, mas não conseguiram encontrar um líder capaz nessa missão.

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, e da Bolívia, Evo Morales, afirmaram que Washington se aproveitava da crise para fortalecer sua presença no país caribenho. O ministro de Cooperação da França, Alain Joyandet, também chegou a fazer críticas à ação dos EUA, minimizadas posteriormente pelo presidente francês, Nicolas Sarkozy.

As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.