Hillary vê riscos em adiar tratado nuclear com Rússia

A secretária de Estado norte-americana, Hillary Clinton, está pressionando o Senado dos Estados Unidos para que vote neste ano e aprove o novo tratado de redução de armas nucleares com a Rússia. Segundo ela, adiar o tratado é algo que minará a segurança nacional dos EUA.

AE, Agência Estado

17 de novembro de 2010 | 14h02

Após um encontro de 90 minutos com senadores, Hillary disse a jornalistas que "essa não é uma questão que pode se dar ao luxo de ser adiada". Hillary disse que fará "o que for necessário" junto às pessoas que apoiam o tratado para levá-lo à votação durante o atual período legislativo pós-eleitoral.

Os planos do governo do presidente dos EUA, Barack Obama, de concluir o tratado neste ano foram abalados ontem, quando o senador republicano Jon Kyl, do Arizona, disse que a votação deveria ser adiada para 2011. As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.