Hillary visita Iêmen e faz pressão por combate ao terror

Secretária de Estado quer que país árabe reveja condições que causam disputas e atraem radicais

Agência Estado

11 de janeiro de 2011 | 09h52

Hillary se encontra com Ali Abdullah Saleh, presidente iemenita.

 

SANAA - A secretária de Estado dos EUA, Hillary Clinton, chegou nesta terça-feira, 11, ao Iêmen para uma visita não anunciada. A intenção é reforçar os laços com o frágil aliado, que está se tornando um foco no esforço de contraterrorismo dos EUA.

 

Sob forte segurança, Hillary pousou nesta terça na capital, Sanaa, para pressionar líderes iemenitas a fazer mais para combater o extremismo que tem atingido também o Ocidente.

 

Ela quer que o Iêmen reveja as condições que causam disputas domésticas e atraem ao país radicais como o clérigo Anwar al-Awlaki, com cidadania americana e iemenita, que segundo funcionários inspirou ataques recentes contra os EUA.

 

Hillary é a primeira secretária de Estado a visitar o Iêmen em 20 anos. Ela diz que sua viagem busca ressaltar o apoio dos EUA ao país e convencer os iemenitas de que Washington deseja mais que uma relação militar no combate ao terrorismo. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAIêmenHillaryvisitaterrorismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.