Holanda elege hoje novo Parlamento

Desacordos sobre missão no Afeganistão e economia são pontos focais no pleito

AE, Agência Estado e BBC

09 de junho de 2010 | 09h48

Cerca de 12 milhões de holandeses vão às urnas hoje para escolher o novo Parlamento, em eleições antecipadas dominadas pela crise econômica. Os liberais, favoráveis a um drástico corte nos gastos públicos, são favoritos na disputa eleitoral. Os primeiros resultados devem ser divulgados ainda nesta quarta-feira, 09. Esta é a primeira eleição na União Europeia (UE) desde a crise na Grécia.

Liderado por Mark Rutte, de 43 anos, o Partido Liberal Popular era o preferido nas pesquisas. O Partido Trabalhista estava em segundo e o partido Apelo Cristão-Democrático, liderado pelo atual premier, Jan Peter Balkenende, em terceiro. O partido xenófobo, em quarto lugar, pode duplicar o número de cadeiras e integrar a coalizão de governo.

 

A eleição - a quarta desde 2002 - foi chamada depois que o governo entrou em desacordo sobre a missão holandesa no Afeganistão. O parceiro de coalizão júnior, do Partido Trabalhista, retirou-se do governo após se recusar a prorrogar a contribuição holandesa para a força da Otan, como primeiro-ministro Jan Peter Balkenende queria. As tropas holandesas devem deixar o Afeganistão em agosto, de acordo com a BBC.

 

A economia holandesa estava se contraindo por ano antes de o país sair da recessão no terceiro trimestre de 2009.

 

O governo prevê um déficit de 6.3% do produto interno bruto (PIB) este ano. Custos de empréstimos obtidos para o país causaram grandes preocupações sobre a capacidade de reembolsar os empréstimos, segundo informou a agência de notícias Reuters.

 

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
HolandaeleiçãoParlamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.