Veli Gurgah/AP
Veli Gurgah/AP

Holanda enviará mísseis Patriot para Turquia proteger fronteira

Primeiro-ministro afirmou que 360 soldados também serão deslocados para ajudar na proteção contra ataques sírios

AE, Agência Estado

07 de dezembro de 2012 | 14h52

AMSTERDÃ - A Holanda se tornou o segundo país a aprovar a instalação de duas baterias dos mísseis Patriot de defesa aérea como parte da missão da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) para defender a Turquia contra possíveis ataques da Síria, seguindo o exemplo da Alemanha.

O primeiro-ministro Mark Rutte disse em uma coletiva de imprensa que seu gabinete também concordou em enviar até 360 soldados para ajudar a proteger as fronteiras turcas.

Como é integrante da Otan, a Turquia pediu os mísseis, alegando que quer defender todos os centros populacionais no perímetro de cerca de 100 quilômetros de suas fronteiras de mais de 900 quilômetros de extensão com a Síria. Para isso, serão necessárias 15 baterias.

A Alemanha já concordou em enviar duas baterias enquanto os Estados Unidos devem adicionar mais duas, levando o total para seis até agora. Os Patriots holandeses e os militares serão enviados para a Turquia no prazo de cinco a seis semanas e deverão ficar lá por no máximo um ano, disse a ministra da Defesa Jeanine Hennis-Plasschaert à emissora NOS.

Será a terceira vez que a Holanda instalará mísseis Patriot na Turquia. Eles foram usados anteriormente durante as guerras do Golfo de 1991 e 2003 para proteger as fronteiras turcas contra ataques do Iraque.

Os sistemas de defesa, que podem ser operados automaticamente, foram atualizados em 2007 para melhorar seu poder de fogo e defender uma área maior contras ataques aéreos. 

Com informações da Dow Jones

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.