Holanda liberta diplomata venezuelano

A Holanda ordenou a libertação de um ex-chefe de inteligência venezuelano que foi preso há quatro dias por autoridades de Aruba, que atenderam solicitação dos EUA, informou o governo da Venezuela.

AE, Agência Estado

27 de julho de 2014 | 20h57

Hugo Carvajal Barrios, que era cônsul em Aruba, será colocado em liberdade e voltará à Venezuela nas próximas horas, relatou o chanceler venezuelano, Elías Jaua, em um comunicado divulgado pela televisão estatal. A nota informou ainda que o governo holandês considerou que, por conta do convênio consular com a Venezuela, "a detenção (de Carvajal) de 23 de julho foi uma violação à imunidade diplomática".

Carvajal, colaborador próximo do falecido presidente Hugo Chávez, foi detido na quarta-feira por requerimento de fiscais dos EUA.

Autoridades norte-americanas acusam o ex-chefe da Direção de Inteligência Militar de fornecer armas a grupos guerrilheiros da Colômbia e ajudá-los a traficar cocaína para financiar a sua insurgência. Apesar dessas denúncias, Carvajal se manteve nas esferas do poder em Caracas, tanto que foi designado cônsul em Aruba, um território holandês, em janeiro pelo presidente Nicolás Maduro. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
VenezuelaHolandadiplomata

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.