Holanda prende jovem suspeito de atacar sites em apoio ao WikiLeaks

Adolescente tem 16 anos; empresas de cartões, banco e governo sueco já foram alvos

Associated Press

09 de dezembro de 2010 | 18h35

AMSTERDÃ - Promotores holandeses disseram nesta quinta-feira, 9, ter prendido um adolescente de 16 anos suspeito de estar envolvido em ataques cibernéticos contra sites de empresas que cortaram as vias de pagamento ao site WikiLeaks.

 

Veja também:

especialEspecial: Por dentro do WikiLeaks

blog Radar Global: principais vazamentos do 'cablegate'

lista Veja tudo o que foi publicado sobre o assunto

 

Em um comunicado, o gabinete dos promotores informou que o jovem pode ter participado dos ataques promovidos pelos apoiadores do WikiLeaks contra as páginas de empresas como "a MasterCard, a PayPal, e outras".

 

A nota informa que o jovem foi preso em Haia, mas não revela seu nome. Não ficou claro se ele teve um papel significativo nos ataques, que deixou os sites fora do ar por algum tempo e atrapalhou o tráfego pelas páginas.

 

Desde que essas empresas romperam relações com o WikiLeaks, hackers apoiadores do site têm efetuado ataques. Além das empresas citadas, os sites da Visa, de um banco suíço e da promotoria e do governo da Suécia foram alvos.

 

A Suécia procura Julian Assange, fundador do WikiLeaks, por crimes sexuais. Assange é considerado o responsável pelo vazamento dos mais de 250 mil documentos americanos, que começou no dia 28 de novembro e causou constrangimento às autoridades americanas por ter revelado segredos da política externa dos EUA. Washington classificou a ação como irresponsável e como uma ameaça à segurança nacional.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.