Holandês seqüestra 18 pessoas e se mata

Um homem armado com uma metralhadora, uma pistola e uma bomba de fabricação caseira entrou no mais alto edifício de Amsterdã e tomou, durante sete horas, o controle do local - onde havia centenas de pessoas trabalhando -, antes de suicidar-se com um tiro na cabeça, nesta segunda-feira.Durante aproximadamente um ano, o homem armado militou contra reclames comerciais segundo os quais televisões de tela ampla são melhores do que as de tela comum. Ele telefonava e enviava reclamações por escrito a órgãos de imprensa e associações de defesa do consumidor.Nesta segunda pela manhã, ele retirou calmamente uma arma automática de sua maleta e fez 18 reféns na recepção da Rembrandt Tower, de 35 andares, bem no início do expediente, chamando a atenção da mídia para seu protesto.A polícia informou que o homem levava explosivos. Porém, o poder de destruição deles não era capaz de danificar o prédio e também não ameaçava pessoas nos outros andares.A identidade do homem não foi revelada pelas autoridades holandesas. Durante tensas negociações por telefone, o homem libertou oito reféns - dois homens e seis mulheres -, mas não pretendia se render.No fim, ele pediu a um negociador profissional da polícia que lhe concedesse alguns minutos para "considerar suas opções e outras exigências". Em seguida, foi até o banheiro e suicidou-se com um tiro na cabeça, disse o promotor Leo de Wit. Segundo ele, ninguém mais ficou ferido.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.