Holandeses vão às urnas em eleições disputadas

Os eleitores holandeses se preparam para votar nesta quarta-feira em uma eleição parlamentar disputada, que pode levar a semanas de manobras políticas antes que uma nova coalizão tome posse. Pesquisas de opinião sugerem que o Partido Democrata Cristão, do primeiro-ministro, Jan Peter Balkenende, vai emergir das urnas como o mais forte para comandar o próximo governo. Mas o Partido Trabalhista, de oposição, liderado por Wouter Bos, vem diminuindo a margem de diferença. As últimas pesquisas indicavam que 40% dos eleitores permanecem indecisos, o que poderá provocar surpresas no resultado. Alguns analistas apontam a ascensão nas pesquisas do Partido Socialista, também de oposição, como prova de que uma coalizão de esquerda pode representar um verdadeiro risco para a coalizão de centro-direita entre os cristãos-democratas e os liberais. Nenhum dos dois blocos deverá ganhar os 76 assentos necessários para garantir a maioria na Câmara Baixa do Parlamento. Por isso, analistas acreditam que haverá prolongadas negociações para formar um governo de coalizão. As últimas projeções dão ao partido de Balkenende 41 assentos, contra 38 do Partido Trabalhista. Alguns analistas acreditam que o Partido Socialista pode saltar de nove para 23 assentos. Os primeiros resultados extra-oficiais estarão disponíveis assim que a votação for encerrada (às 18h de Brasília). Resultados parciais serão divulgados uma hora mais tarde. Imigração O governo da coalizão liderada pelos cristãos-democratas desmoronou em junho, depois da polêmica envolvendo o questionamento da cidadania holandesa de uma política nascida na Somália. A imigração é uma questão crucial na política holandesa desde que o político independente Pim Fortuyn e o cineasta Theo van Gogh, dois ativistas que lutavam contra o extremismo muçulmano, foram assassinados. Apesar disso, no último debate de TV, na véspera das eleições, os líderes dos partidos se concentraram mais nas reformas do que na questão da imigração, segundo Geraldine Coughlan, correspondente da BBC em Haia. Balkenende também tem ressaltado a recuperação econômica do país nos últimos anos como obra de seu governo.

Agencia Estado,

22 Novembro 2006 | 08h43

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.