AP Photo/Sergei Chuzavkov
AP Photo/Sergei Chuzavkov

Holandeses votam em referendo sobre acordo de associação entre UE e Ucrânia

Bruxelas e Moscou acompanharão de perto o referendo, que pretende reforçar o diálogo político e a relação econômica e comercial entre o bloco europeu e Kiev

O Estado de S. Paulo

06 Abril 2016 | 10h21

HAIA - Os holandeses vão às urnas nesta quarta-feira, 6, para um referendo promovido pelos eurocéticos sobre um acordo de associação entre União Europeia (UE) e a Ucrânia. A consulta só será considerada válida no caso de índice de participação superior a 30%.

O resultado do referendo sobre o acordo de associação estratégica entre a UE e Kiev será acompanhado de perto em Bruxelas e Moscou. Um eventual "não" ao acordo representaria um quebra-cabeça para o bloco de 28 países. Pesquisas iniciais apontavam uma leve vantagem para o "não".

O referendo também desperta interesse na Ucrânia, onde em 2014 o então presidente, o pró-russo Viktor Yanukovich, foi destituído por ter se recusado a assinar o acordo alguns meses antes.

Em vigor desde janeiro, o tratado pretende reforçar o diálogo político e a relação econômica e comercial entre UE e Ucrânia. Para Kiev, ele representa uma "nova era", mas Moscou o considera uma interferência dos europeus em sua área de influência.

A Holanda é o único país da UE que ainda não ratificou o acordo, que já foi aprovado no Parlamento.

A consulta foi promovida por associações eurocéticas, que conseguiram reunir mais de 300 mil assinaturas para convocar o referendo. Mas na realidade, como as próprias associações explicaram, o verdadeiro objetivo não é a relação com a Ucrânia, e sim promover uma política contra a UE e "dar aos cidadãos mais peso sobre o que acontece em Bruxelas". /AFP

Mais conteúdo sobre:
referendo União Europeia Ucrânia

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.