Hollande confirma assassinato de francês e pede punição

Hollande confirma assassinato de francês e pede punição

Um grupo autodeclarado aliado ao Estado Islâmico publicou um vídeo nesta quarta-feira que mostrava a decapitação de francês sequestrado na Argélia

Estadão Conteúdo

24 de setembro de 2014 | 14h57

Em depoimento na Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), em Nova York, o presidente da França, François Hollande, confirmou que o guia de montanhismo Hervé Gourdel foi "cruelmente e covardemente" assassinado por ser francês e disse que os responsáveis precisam ser punidos. "Ele foi vítima de um crime hediondo", afirmou Hollande.

Um grupo autodeclarado aliado ao Estado Islâmico publicou um vídeo nesta quarta-feira que mostrava a decapitação do francês sequestrado na Argélia. Os extremistas dizem que o assassinato é uma retaliação pelo envolvimento da França na campanha militar liderada pelos Estados Unidos contra militantes no Iraque e na Síria.

Na reunião das Nações Unidas, Hollande rejeitou as exigências do grupo de que parasse com os ataques aéreos. "Nós não vamos nos render a qualquer chantagem, pressão ou ultimato", ele disse.

Os EUA embarcaram em uma série de ofensivas contra o Estado Islâmico na Síria e no Iraque. A França passou a participar da campanha em território iraquiano na sexta-feira, mas se recusou a intervir no conflito sírio. Fonte: Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
ArgéliafrancêsrefémHollande

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.