John Schults/Reuters
John Schults/Reuters

Hollande conquista boa posição no Parlamento francês

Presidente fortalece posição enquanto tenta convencer Alemanha a promover crescimento para combater a crise da zona do euro

Reuters,

11 de junho de 2012 | 12h44

PARIS - O presidente francês, François Hollande, está a caminho de conquistar uma maioria sólida no Parlamento após o primeiro turno das eleições de domingo, fortalecendo sua posição enquanto tenta convencer a Alemanha a promover o crescimento para combater a crise da zona do euro.

Veja também:

link'Deveríamos reforçar relações com países emergentes', disse candidata à Assembleia Nacional Francesa

linkNa França, socialistas buscam unidade após eleição

A eleição parlamentar deu ao bloco do Partido Socialista de Hollande provavelmente mais do que os 289 assentos necessários para uma maioria absoluta na Assembleia Nacional, e com certeza ele terá essa maioria com o apoio do aliado Partido Verde, mostraram institutos de pesquisa.

O segundo turno será realizado no domingo entre os principais partidos para vagas em que nenhum candidato obteve ao menos 50 por cento dos votos. Projeções iniciais baseadas na contagem parcial dos votos mostraram que os socialistas sozinhos terão de 283 a 329 assentos.

As projeções indicam que Hollande pode não precisar do apoio da esquerda radical, céptica sobre a zona do euro, para aprovar legislações, o aliviando de uma potencial dor de cabeça enquanto a Alemanha pressiona seus parceiros a buscar uma união fiscal na Europa.

"A percepção de que a crise é séria e que o governo precisa de espaço de manobra para colocar o país de volta em seu caminho está pesando a favor para o governo conquistar a maioria absoluta", disse a analista política da consultoria CAP Stephane Rozes.

Os socialistas foram cautelosos na comemoração, mantendo a cobrança sobre os eleitores para comparecerem no segundo turno, mas conquistar o poder na câmara baixa pela primeira vez em uma década será um grande triunfo para a esquerda após ter conquistado o controle do Senado em 2011 e da volta à Presidência em maio após 17 anos.

"A mudança está começando", disse o primeiro-ministro Jean-Marc Ayrault. Mas ele alertou: "Tudo depende do próximo domingo."

Hollande precisa de uma maioria consistente para aprovar os ajustes no Orçamento de 2012 para refletir um leve crescimento, e para uma reforma tributária incluindo o aumento dos impostos dos ricos para financiar os gastos planejados em investimentos.

 

 
Tudo o que sabemos sobre:
Hollandeparlamentofrancêsmaioria

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.