Hollande homenageia vítimas dos atentados terroristas de 2015

Presidente francês inaugurou placas em homenagem aos mortos no ataque a redação do semanário 'Charlie Hebdo' e ao mercado judaico Hyper Cacher; homenagens devem durar toda a semana

O Estado de S. Paulo

05 Janeiro 2016 | 09h55

PARIS - O presidente francês, François Hollande, deu início nesta terça-feira, 5, às recordações dos atentados de janeiro de 2015 contra o semanário satírico "Charlie Hebdo" e contra um mercado judaico na capital do país. As homenagens às vítimas devem se prolongar por toda a semana.

O presidente participou da inauguração de uma placa de recordação às 11 vítimas do ataque contra o Charlie Hebdo em 7 de janeiro na rua Nicolas Appert, no distrito 11 da cidade, e deixou uma coroa de flores no local.

Pouco depois, acompanhado pela prefeita de Paris, Anne Hidalgo, e pelo primeiro-ministro francês, Manuel Valls, Hollande se dirigiu ao Boulevard Richard Lenoir - a poucos metros da redação do jornal satírico -, saudou os parentes do policial Ahmed Merabet, assassinado com um tiro na cabeça, e inaugurou outra placa de homenagem. 

No local onde Merabet foi morto há uma inscrição no solo com os dizeres "Sou Ahmed" pintada nas cores da bandeira do país. Na segunda-feira, a polícia também realizou um ato de homenagem ao policial morto que contou com a participação da família de Merabet.

A terceira parada do presidente francês foi no distrito 20 de Paris, localização do mercado judaico Hyper Cacher, onde o jihadista Amedy Coulibaly matou quatro pessoas no dia 9 de janeiro de 2015 antes de ser abatido pelas forças policiais.

A placa colocada no local - que, assim como as anteriores, foi inaugurada em total silêncio - faz referência à "memória das vítimas do atentado antisemita" perpetrado contra o comércio.

Na quinta-feira, data exata do primeiro ano desde o ataque ao Charlie Hebdo, o chefe de Estado francês felicitará na chefia da polícia o ano novo para as forças de segurança envolvidas na operação antiterrorista Sentinelle.

No sábado, uma nova placa comemorativa será inaugurada em homenagem a uma policial municipal morta a tiros por Coulibaly em Montrouge, cidade periférica ao sul de Paris. No domingo, Hollande também estará em evento popular organizado na Praça da República para lembrar as vítimas do ataques jihadistas de janeiro passado, que deixaram 17 mortos, e de novembro, que fizeram 130 vítimas. / EFE e AFP

Mais conteúdo sobre:
Manuel Valls Praça da República

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.