Hollande não descarta voto no Parlamento sobre Síria

O presidente francês, François Hollande, não descarta uma votação parlamentar sobre uma intervenção militar na Síria e deverá fazer um pronunciamento para o povo francês, disse Alain Vidalies, o ministro encarregado das relações com o Parlamento, nesta terça-feira.

AE, Agência Estado

03 de setembro de 2013 | 04h56

"O presidente tem o poder de decidir se haverá uma votação e isso não é um tabu para François Hollande," disse Vidalies em entrevista à rádio RTL.

Ele disse que o presidente "obviamente" deverá abordar o povo francês para explicar a ação do país no país no Oriente Médio.

O presidente francês está tentando reunir apoio na França para uma possível intervenção na Síria. Na terça-feira, o governo francês publicou um relatório afirmando que o governo sírio realizou três ataques químicos desde meados de abril e divulgou vários vídeos que mostram as vítimas dos supostos ataques.

Na quarta-feira, o governo de Hollande deve abordar o Parlamento sobre o conflito sírio e o potencial envolvimento da França em uma ataque contra o governo do país. Hollande não é obrigado a buscar a aprovação parlamentar antes de tomar qualquer ação, contudo muitos legisladores estão exigindo que a votação seja realizada.

Vidalies disse que até agora o governo não tem planos de levar os legisladores a uma votação sobre o assunto.

O ministro disse que a França não vai agir sozinha na Síria e afirmou explicitamente que seu governo depende agora do Congresso dos EUA. Ele reconheceu que a decisão de Obama de levar a intervenção para aprovação do Congresso não era o "cenário esperado". Fonte: Dow Jones Newswires.

Mais conteúdo sobre:
françasíria

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.