Yohan Bonnet / AP
Yohan Bonnet / AP

Hollande nomeia ex-mulher para chefiar Ministério da Ecologia

Ségolène Royal foi candidata à presidência da França em 2007, quando perdeu para Nicolas Sarkozy

O Estado de S. Paulo,

02 de abril de 2014 | 11h33

PARIS -  A ex-candidata presidencial socialista à presidência da França  Ségolène Royal foi nomeada nesta quarta-feira, 2,  nova ministra de Ecologia, Desenvolvimento Sustentável e Energia. Ségolène foi casada por 30 anos com o presidente François Hollande, com quem teve quatro filhos.

Ela já tinha sido ministra nas presidências de François Mitterrand (Meio Ambiente) e de Jacques Chirac (primeiro de Ensino e depois na pasta de Família). A ex-mulher de Hollande fará parte do gabinete do novo primeiro-ministro, Manuel Valls.

A pasta que ela assume é considerada um ministério de peso e reúne atribuições que antes estavam divididas. Valls ofereceu o ministério anteriormente para os ecologistas, que rejeitaram a nomeação por incompatibilidade política com o novo chefe do gabinete.

Nascida no Senegal, Ségolène tem 60 anos e vem de uma família de militares. Ela se tornou conhecida mundialmente sobretudo quando foi em 2007 candidata pelo Partido Socialista (após ganhar as primárias) à presidência, eleição que perdeu para o conservador Nicolas Sarkozy.

A nova ministra  terá diversos desafios: a curto prazo, um deles será concretizar o compromisso do presidente sobre a chamada "transição energética"

O programa de Hollande prevê uma redução do peso da energia nuclear na geração de eletricidade, que agora supera 75%, para 50% até 2025. Além disso, a nova ministra deverá endurecer ainda mais a posição francesa contra os transgênicos na União Europeia. / EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.