AP
AP

Hollande parabeniza militares que dispararam contra agressor armado no Museu do Louvre

Presidente destacou ‘coragem’ e ‘determinação’ dos agentes, e lembrou que a investigação está sendo coordenada pela promotoria antiterrorista

O Estado de S.Paulo

03 Fevereiro 2017 | 15h33

PARIS - O presidente da França, François Hollande, parabenizou os militares franceses que sofreram uma "agressão selvagem" no Museu do Louvre, em Paris, nesta sexta-feira, 3, por um indivíduo armado com uma faca. Ele teria gritado “Allahu Akbar” (“Deus é o maior” em árabe) antes de ser gravemente ferido por soldados que patrulhavam a região.

Em comunicado emitido pela presidência francesa, Hollande lembrou que a agressão está sendo investigada pela promotoria antiterrorista, mas não se menciona a palavra "atentado".

"O presidente destacou a coragem e a determinação demonstrada pelos militares para neutralizar o agressor", diz o texto, no qual Hollande "mostrou solidariedade com o soldado ferido".

De Malta, onde participa de uma cúpula europeia, o presidente francês "reafirmou a determinação do Estado para atuar sem descanso em defesa da segurança" dos franceses e "lutar contra o terrorismo".

Hollande afirmou que os incidentes desta sexta-feira em Paris provaram "mais uma vez a eficácia" do dispositivo de segurança implantado na França após os atentados terroristas registrados nos últimos anos, que causaram 230 mortes desde os ataques contra a revista satírica Charlie Hebdo em 2015. / EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.