Hollande põe fim à união com primeira-dama

O presidente da França, François Hollande, anunciou ontem, o fim de sua relação com a companheira de sete anos e primeira-dama francesa, Valérie Trierwiler. A separação foi anunciada duas semanas depois de uma revista de fofocas do país ter afirmado que o chefe de Estado francês mantinha um caso amoroso extraconjugal com a atriz Julie Gayet.

PARIS, O Estado de S.Paulo

26 de janeiro de 2014 | 02h04

"Anuncio que pus fim à vida em comum que compartilhava com Valérie Trierweiler", declarou o líder, ressaltando que não falava enquanto presidente, mas "a título pessoal", sobre um assunto que afeta somente sua "vida privada".

De acordo com o Journal du Dimanche, o casal tomou a decisão de se separar em um almoço, na quinta-feira.

A expectativa sobre o anúncio de Hollande foi grande desde a manhã. Durante todo o dia, porém, o Palácio do Eliseu se recusou a comentar o assunto.

As diferentes etapas da ascensão política de François Hollande, desde a época em que estudava na Escola Nacional de Administração (ENA) até a presidência da França, têm sido associadas a histórias de amor.

Desde a sua união por 28 anos com Ségolène Royal, mãe de seus quatro filhos, até sua suposta relação com Julie Gayet, que causou a hospitalização por oito dias de Valérie Trierweiler, a vida amorosa de Hollande não para de se misturar à sua vida pública - apesar da aparente determinação do presidente francês em tentar preservar sua intimidade. Hollande é considerado a antítese do sedutor em seu país. / AFP e EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.