Hollande visita o Mali após expulsão de extremistas

O presidente da França, François Hollande, desembarcou neste sábado no Mali, onde tropas francesas apoiaram o exército malês na expulsão de insurgentes islâmicos dos redutos urbanos no norte do país africano. O governo francês pressiona autoridades malesas para que iniciem o processo de reconciliação nacional, substituindo as soldados cedidos pela França.

AE, Agência Estado

02 de fevereiro de 2013 | 18h21

Hollande encontrou-se com o presidente interino do Mali, Dioncounda Traore, na cidade de Savare, acompanhado de sua comitiva de ministros das Relações Exteriores, Defesa e Desenvolvimento.

Mais tarde, Hollande seguiu para Timbuktu, onde afirmou a uma multidão entusiasmada que os soldados franceses vão "caçar esses terroristas até vasculharem seu último refúgio."

Os militares franceses estão procurando rebeldes islâmicos nas montanhas ao longo da fronteira do Mali com a Argélia, segundo Hollande. Militantes da Al-Qaeda no Magreb Islâmico, um braço do grupo fundamentalista, teriam se refugiado na região depois de tanques e ataques aéreos os terem expulsado de Timbuktu e da cidade de Gao na semana passada.

A Organização das Nações Unidas estuda transformar a intervenção no país em uma operação formal de paz. No entanto, há sinais de que o Mali precisará de ajuda de longo prazo para estabilizar o país. Existe o temor de que os extremistas passem a atuar em campanha de guerrilha. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
FrançaMaliHollande

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.