Hollywood se cala diante de protestos de imigrantes

Sean Penn, Tim Robbins e Susan Sarandon se opuseram abertamente à guerra no Iraque. Leonardo di Caprio questiona o aquecimento global e Mike Farrell manifesta-se contra a pena de morte. Mas sobre a reforma imigratória, questão particularmente controversa na Califórnia, os astros e estrelas de Hollywood têm preferido não opinar. Entre os motivos que explicam o silêncio estão o medo de prejudicar a carreira, a confusão sobre um tema tão complexo e a evidente falta de conhecimento sobre a realidade do cotidiano dos hispânicos que ali vivem. "Lembro-me da batalha pelos direitos civis (dos negros), quando gente como Harry Belafonte deu um passo à frente e dominava muito bem o assunto. Não temos isso agora", reclamou Alex Nogales, presidente da Coalizão Nacional de Meios Hispânicos. Os famosos de origem hispânica têm obrigação de se envolver no tema? "Evidente", diz Nogales. "É parte de ser latino ter a responsabilidade de salvaguardar a nossa comunidade. Os mais conhecidos precisam tomar a palavra. Não podem ficar sempre esquivos." Pouquíssimas celebridades têm sido vistas nas marchas em prol da legalização dos imigrantes sem documentos. Exceções são o ator Edward James Olmos, indicado ao Oscar, o comediante George López e o cineasta Gregory Nava. "Estou de acordo com eles (os defensores dos imigrantes) ao dizerem que precisamos nos envolver", disse López. "Acredito que o que paralisa Hollywood atualmente é que esta questão é um barril de pólvora e as figuras públicas correm o risco de se queimar." Para James Olmos, trata-se de um novo capítulo em sua vida como ativista. "Creio se importante participar devido à complexidade dos temas que estão envolvidos, entre eles o impacto econômico e a segurança nacional. Tomara que haja uma resposta sensível para isso, creio que ambas as partes devem enfrentar a realidade que estamos encarando." O ator Martin Sheen, de origem hispânica e conhecido por seu apoio a imigrantes no passado, não esteve disponível para comentários por estar gravando o seriado The West Wing, segundo seu agente. Susan Sarandon, Ed Begley Jr e Ed Asner, também famosos por suas posições políticas, tampouco se dispuseram a comentar.

Agencia Estado,

14 Abril 2006 | 01h25

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.