Reuters
Reuters

Homem acusado de matar deputada britânica será julgado em novembro

Julgamento de Thomas Mair acontecerá no dia 14 de novembro sob jurisdição antiterrorista. Ele teria esfaqueado e atirado contra Jo Cox

O Estado de S. Paulo

23 Junho 2016 | 13h47

LONDRES - O homem acusado de assassinar a deputada britânica Jo Cox, em Londres, na semana passada, será julgado no dia 14 de novembro sob jurisdição antiterrorista, anunciou nesta quinta-feira, 23, um juiz da corte penal de Londres.

Thomas Mair, de 52 anos, participou da audiência por videoconferência, pois se encontra em uma prisão de segurança máxima, e se limitou a confirmar seu nome. A próxima audiência ocorrerá em 19 de setembro.

Ele é acusado do assassinato e de outros crimes relacionados com a morte da deputada trabalhista, além de ferir gravemente um idoso.

Mair compareceu a uma primeira audiência no sábado, e quando o juiz pediu sua identificação, ele respondeu: "Morte aos traidores, liberdade para a Grã-Bretanha". Um relatório psiquiátrico foi encomendado após a declaração.

A deputada foi esfaqueada e atingida por tiros na quinta-feira, quando seguia para um encontro com seus eleitores em Birstall, norte da Inglaterra. Jo Cox era a favor da permanência do Reino Unido na União Europeia e defendia imigrantes e refugiados.

O assassinato comoveu o país e provocou a suspensão da campanha durante três dias. Após o ocorrido, os votos pela permanência do país na UE ganharam força. /Associated Press

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.