Robyn Beck/AFP
Robyn Beck/AFP

Homem atira em namorada e avó, se refugia em mercado e mata refém em Los Angeles

Suspeito baleou a namorada e a avó, trocou tiros com a polícia durante perseguição, se refugiou em supermercado e matou uma refém; cerco policial durou 3 horas

O Estado de S.Paulo

21 Julho 2018 | 20h56
Atualizado 22 Julho 2018 | 01h24

LOS ANGELES - Um homem foi preso depois de atirar contra a namorada e a avó, se refugiar em um supermercado e matar uma mulher a tiros dentro do local, no bairro de Silver Lake, em Los Angeles, na Califórnia, na noite deste sábado (final da tarde no horário local). Ele manteve funcionários e clientes como reféns no local, cercado pela polícia, e se entregou após cerca de três horas. As identidades das vítimas e do preso não foram divulgadas até o momento.

 


Segundo as autoridades, depois de efetuar sete disparos contra a avó na zona sul de Los Angeles, o suspeito fugiu com a namorada ferida em um veículo Toyota Camry, foi perseguido por viaturas e trocou tiros com policiais. Ele acabou batendo o carro em um poste em frente ao mercado da rede Trader Joe's, deixou a vítima no banco do passageiro e correu para se refugiar dentro do estabelecimento.

Pessoas que estavam na loja foram mantidas como reféns ou se esconderam do homem em banheiros e corredores até ele decidir se entregar à polícia. Uma mulher morreu no estabelecimento durante a troca de tiros entre o suspeito e os policiais. Ainda não foi confirmado de quem partiu o disparo que a matou. Alguns reféns conseguiram fugir através de janelas com o auxílio do Corpo de Bombeiros local. O cerco terminou por volta das 22h30 (18h30 no horário de Los Angeles) e o homem se entregou às autoridades com um ferimento no braço.

A rede CNN registrou imagens da mulher ferida sendo retirada do veículo abandonado no pátio do mercado. Ela não corre risco de morte, conforme as autoridades. O estado da avó baleada não foi informado. Outras seis pessoas foram levadas para o hospital com escoriações e ferimentos leves.

O prefeito de Los Angeles, Eric Garcetti, parabenizou os policiais e bombeiros envolvidos no cerco e prestou solidariedade aos familiares da mulher morta dentro do supermercado. "O heroísmo que foi demonstrado hoje foi inigualável e as equipes que responderam ao chamado, fizeram o cerco e negociaram com o suspeito sem dúvidas salvaram vidas hoje", disse. "Nossa solidariedade a todos que ficaram traumatizados"

Pelas redes sociais, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse que acompanhava o incidente. "Assistindo atentamente à possível situação de reféns em Los Angeles. Suspeito cercado. O Departamento de Polícia de Los Angeles atua com apoio das forças federais", escreveu. / Com informações de agências internacionais e rede CNN.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.