Kerem Yucel / AFP
Kerem Yucel / AFP

Homem armado é preso ao tentar passar barreira do Capitólio com credencial ‘não autorizada’

De acordo com a polícia, ele portava uma pistola carregada e mais de 500 cartuchos de munição dentro de um caminhão

Redação, O Estado de S.Paulo

16 de janeiro de 2021 | 19h14

WASHINGTON - A polícia do Capitólio, nos Estados Unidos, prendeu na sexta-feira, 15, um homem que estava com credencial falsa, uma arma de fogo carregada não registrada e mais de 500 cartuchos de munição dentro de um caminhão, disseram as autoridades. O suspeito foi flagrado com os itens quando tentava passar pela barricada policial montada ao redor da sede do Congresso americano para a posse do presidente eleito Joe Biden, que será no dia 20 de janeiro. 

A prisão ocorre em um momento em que policiais temem que extremistas encorajados pelo ataque ao Capitólio - provocado por apoiadores de Donald Trump no último dia 6 - possam tentar causar violência. Uma “zona verde” militarizada está sendo montada no centro da cidade, membros da Guarda Nacional estão pela cidade e uma cerca de metal foi erguida ao redor do Capitólio antes do juramento de Biden.

O homem preso na noite de sexta, Wesley Beeler, de Front Royal, na Virginia, dirigiu até um posto de controle de segurança e apresentou "uma credencial de inauguração não autorizada", de acordo com o depoimento de um oficial da Polícia do Capitólio, dado em um tribunal de Columbia neste sábado, 16. O agente Roger Dupont disse que havia verificado o nome do homem em uma lista e descobriu que a credencial dele não dava permissão para entrar na área restrita.

Os policiais revistaram o caminhão, que tinha vários adesivos relacionados a armas, e encontraram uma Glock carregada, 509 cartuchos para a pistola e 21 cartuchos de espingarda, disse a polícia. Beeler admitiu ter a pistola quando foi questionado se havia armamento no carro.

O suspeito, que não foi localizado para comentar, foi acusado de cinco crimes, incluindo porte ilegal de arma e munição. Os documentos apresentados no tribunal e um relatório de incidente do Departamento de Polícia Metropolitana da cidade não esclarecem por que Beeler tentou acessar uma área restrita, nem forneceram mais detalhes sobre a credencial apresentada.

Policiais disseram estar alarmados com conversas entre grupos de extrema-direita e outros extremistas racistas que ameaçam atingir Washington para protestar contra a vitória eleitoral de Biden. Agências federais tentam impedir que algumas pessoas que invadiram o Capitólio com armas no início deste mês retornem à cidade, inclusive restringindo a permissão para embarcar em aviões comerciais, de acordo com um funcionário do governo.

Biden tem resistido aos apelos para que a cerimônia de inauguração seja transferida para um local fechado por uma questão de segurança. Seu comitê de inauguração já estava planejando uma comemoração reduzida com apresentações virtuais devido à pandemia do novo coronavírus./ THE NEW YORK TIMES

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.