Homem atira contra conselho escolar na Flórida

Um ex-condenado de 56 anos manteve o conselho da escola Bay City sob a mira, afirmando que queria uma retificação pela demissão de sua mulher, atirou contra o superintendente à queima-roupa e então se matou. O superintendente Bill Husfelt não foi atingido e disse que foi por Deus que escapou dos tiros, disparados na noite de ontem.

AE, Agência Estado

15 de dezembro de 2010 | 15h03

O atirador, Clay A. Duke, aparentemente havia criado uma página do Facebook na semana passada na qual discutia hostilidades em sala de aula. A página também continha imagens do filme "V de Vingança", no qual uma figura misteriosa combate um governo totalitário. "Podíamos dizer pelo jeito que olhava que não ia acabar bem", disse Husfelt, mais tarde, à Associated Press.

Enquanto o conselho da escolha Bay City estava no meio de uma discussão, Duke se dirigiu para a parte da frente da sala e pintou um "V" com um círculo ao redor com tinta spray na parede branca. Ele então virou-se com uma arma em punho e calmamente ordenou a todos que saíssem, exceto o homem que estava presidindo a reunião. Apesar do choque, Husfelt manteve a calma e tentou persuadir Duke a largar a arma. Duke balançou a cabeça, culpando o superintendente pela demissão de sua mulher. Imagens de vídeo mostram ele levantando lentamente a arma na direção de Husfelt, que pedia "por favor, não".

Duke atirou duas vezes contra Husfeld, de uma distância de cerca de 2,4 metros, e fez vários disparos antes que um segurança disparasse contra sua perna. Em seguida, Duke se matou com um tiro, disse o sargento Jeff Becker. Ninguém ficou ferido. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
tiromorteviolênciaescolaEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.