, O Estado de S.Paulo

21 de setembro de 2010 | 00h00

Pelo menos duas pessoas ficaram feridas ontem depois que um militante islâmico detonou os explosivos que carregava diante do palácio presidencial de Mogadíscio, capital da Somália. Segundo relatos, o homem teria tentado saltar em um veículo blindado da força de paz da União Africana (UA), mas soldados abriram fogo e conseguiram conter o ataque. Autoridades somalis culparam imediatamente a organização insurgente Al-Shabab pela ação.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.