AFP PHOTO / SISKA GREMMELPREZ
AFP PHOTO / SISKA GREMMELPREZ

Homem 'caça radiação' e provoca alerta terrorista em Bruxelas

'Suspeito' foi parado pela polícia local, que chamou o reforço das forças especiais de intervenção, enquanto a área foi isolada

O Estado de S. Paulo

20 de julho de 2016 | 18h30

Um "suspeito" que desencadeou nesta quarta-feira, 20, a mobilização das forças de segurança no centro de Bruxelas durante cinco horas foi identificado como um jovem que "estudava as ondas e radiação" na capital belga, informou a Polícia.

No início da tarde, um guarda de segurança relatou ter visto uma "pessoa com um casaco longo e fios" no bairro Opera Royal de La Monnaie, no coração da capital belga, segundo a polícia. O homem foi parado pela polícia local, que chamou o reforço das forças especiais de intervenção, enquanto a área foi isolada.

Em uma imagem divulgada pelo jornal La Dernière Heure, o jovem aparece ajoelhado na calçada, com as mãos na cabeça. Outras fotos publicadas em sites de jornais locais mostram agentes das forças especiais se aproximando cautelosamente.

Depois, "um robô enviado ao local constatou elementos bastante preocupantes", que provocaram o temor "de explosivos", disse à imprensa um porta-voz da Polícia de Bruxelas, Christian De Coninck. Além disso, o jovem tinha um comportamento "muito passivo, muito suspeito" em relação à Polícia, disse o porta-voz.

Finalmente, descobriu-se se tratar "apenas de um estudante que fazia pesquisa sobre as ondas e radiações de Bruxelas", cujo equipamento, "que era muito suspeito, era totalmente inofensivo", acrescentou. A Justiça "deve indiciá-lo apenas para recuperar os gastos com a operação", revelou De Coninck.

Se for considerado culpado de alguma infração, a multa será alta para o estudante, já que, durante cinco horas, muitos agentes locais e federais foram mobilizados.

Bruxelas permanece em alerta máximo desde o ataque de extremistas contra o aeroporto e o metrô da cidade no dia 22 de março, quando 32 pessoas morreram. / AFP 

Tudo o que sabemos sobre:
TerrorismoBélgicaBruxelas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.