Homem com explosivo no sapato é de Sri Lanka

O homem que embarcou em um vôo de passageiros com explosivos escondidos no sapato é cidadão de Sri Lanka, apesar de viajar com passaporte britânico, conforme informou, neste domingo, a polícia francesa.O vôo de número 63 da American Airlines, que ia de Paris para Miami, teve de fazer uma aterrissagem de emergência em Boston, no sábado, quando o passageiro identificado pela polícia francesa como Tariq Raja, tentou acender o que as autoridades chamaram de um artefacto explosivo escondido no seu sapato.Segundo informações de funcionários norte-americanos à Associated Press, sabe-se que o material era explosivo, mas ainda estão sendo realizados testes para determinar exatamente qual é o tipo de substância. A identidade e nacionalidade de Raja foi descoberta por intermédio de fontes nos Estados Unidos, segundo informou um funcionário da polícia francesa de fronteiras. Raja, que viajava com passaportebritânico com o nome de Richard Colvin Reid, foi dominado com rapidez e o avião com 185 passageiros e 12 tripulantes aterrissou sem problemas no Aeroporto Internacional Logan.A polícia francesa disse que Raja, também conhecido como Abdel Rahim, tentou embarcar na sexta-feira em um vôo com o mesmo destino, mas foi detido para ser interrogado e ficou livre quando o avião já havia partido. Raja levava uma pequena maleta e disse que viajava para Antigua para visitar sua família.As autoridades francesas desejam saber como o passageiro pode embarcar apesar da intensificação das medidas de segurança após os ataques terroristas de 11 de setembro nos Estados Unidos.?Por enquanto, não sabemos como este homem pôde passar?, disse um funcionário a Polícia Fronteiriça Francesa, que divide a responsabilidade para a segurança em todos os aeroportos franceses com o Ministério do Interior.Um especialista em transporte aéreo disse à Associated Press queÉ ?praticamente impossível? ter cães em número suficiente para detectar explosivos entre dezenas de milhares de passageiros que embarcam diariamente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.