Karl-Josef Hildenbrand/dpa via AP
Karl-Josef Hildenbrand/dpa via AP

Homem com machado fere ao menos 10 em trem na Alemanha

Comboio fazia a viagem entre Würzburg e Ochsenfurt e lguns dos feridos correm risco de morte; suspeito foi morto ao tentar fugir

O Estado de S. Paulo

18 Julho 2016 | 18h31

BERLIM - A polícia alemã matou nesta segunda-feira (18) um jovem armado com um machado e com uma faca que atacou passageiros em um trem regional nos arredores de Würzburg, ferindo três pessoas gravemente - informou a agência de notícias DPA.

De acordo com o Ministério regional do Interior, a ação foi um "provável atentado islâmico". "É bastante provável que se trate de um atentado islâmico", declarou o porta-voz da pasta, destacando que o agressor, um demandante de asilo afegão de 17 anos, gritou "Allahu Akbar" ("Allah é grande") no momento do ataque.

"O autor é um afegão de 17 anos", morador da localidade de Ochsenfurt, próxima ao lugar da agressão, revelou o ministro do Interior da Baviera, Joachim Hermann, ao canal público de televisão ARD, acrescentando que o rapaz foi morto quando tentava fugir.

O ataque ocorreu por volta das 21h15 locais (16h15, horário de Brasília), em um trem regional que cobria o trecho Treuchlingen-Würzburg, na Baviera.

"Pouco antes de chegar a Würzburg, um homem agrediu passageiros com um machado e com uma faca", explicou o porta-voz policial. "Há três feridos em estado grave, e várias outras ligeiramente feridas", acrescentou o porta-voz. A polícia tinha informado anteriormente que havia entre 10 e 15 pessoas feridas.

Várias das testemunhas do ataque conseguiram avisar a polícia e o maquinista, que deteve o trem em Heidingsfeld, um dos bairros de Würzburg. 

"O autor dos fatos chegou a deixar o trem, a polícia começou a persegui-los e, na perseguição, atirou no agressor e o matou", relatou o porta-voz.

Em maio deste ano, um homem desequilibrado, de 27 anos, cometeu uma agressão similar a faca, também em um trem regional no sul do país. O ataque deixou um morto e três feridos.

Nesse incidente, a polícia deu uma primeira declaração sobre uma pista islâmica depois que o agressor gritou "Allah é grande". Acabou recuando, quando se constatou que o indivíduo sofria de problemas psiquiátricos.  / REUTERS e EFE

Mais conteúdo sobre:
Alemanha

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.