Homem de 60 anos mata 13 pessoas a tiros na Sérvia

Um veterano de guerra de 60 anos matou a tiros 13 pessoas na Sérvia nesta terça-feira, dentre elas sua mãe, seu filho e um primo de dois anos, durante ataques realizados de madrugada, ante de atirar em si mesmo e em sua ulher. O atirador, identificado como Ljubisa Bogdanovic, usou uma pistola para fazer os disparos em cinco casas da vila de Velika Ivanca, que fica a 50 quilômetros a sudeste de Belgrado, informou a porta-voz de emergências do hospital, Nada Macura.

Agência Estado

09 de abril de 2013 | 11h22

Doze pessoas morreram logo após os disparos, feitos entre 5h e 5h30, e uma outra morreu num hospital de Belgrado, informou o chefe da polícia Milorad Veljovic. O homem e sua mulher ficaram seriamente feridos pelos disparos. Segundo Macura, há uma outra pessoa que também ficou ferida.

"Fomos todos pegos de surpresa", disse Veljovic aos jornalistas. "A maioria das vítimas foi alvejada enquanto estava dormindo." Segundo ele, ainda não está claro o que motivou os disparos.

Informações divulgadas pela mídia indicam que o suspeito tinha licença para ter uma pistola. Embora esse tipo de episódio seja relativamente raro na Sérvia, armas são facilmente encontradas no país, muitas das quais são remanescentes das guerras da década de 1990 nos Bálcãs.

Moradores disseram que, primeiro, o homem matou seu filho, antes de deixar a casa e começar a atirar nos vizinhos. Os moradores próximos ficaram chocados, pois descreveram o suspeito como um homem bom e calmo.

"Ele bateu nas portas e quando elas foram abertas, ele disparou", disse o morador Radovan Radosavljevic. "Ele era um bom vizinho e qualquer um abriria a porta para ele. Não sei o que aconteceu."

Os vizinhos disseram que um família inteira de cinco pessoas foi morta numa casa e que dentre as vítimas estava um menino pequeno, que era primo do atirador.

Milovan Kostadinovic, outro vizinho, disse que o suspeito foi interrompido pela polícia quando estava a caminho da sua casa. "Se eles não o houvessem parado, ele poderia ter matado a mim e a milha família", disse Kostadinovic, em frente de sua casa, que fica na vila localizada numa colina verde, cheia de árvores frutíferas. "Ele atirou em si mesmo quando a polícia o encontrou."

O suspeito havia perdido seu emprego no ano passado. Ele lutou como soldado sérvio na guerra da Croácia em 1992, informou o chefe de polícia. Moradores locais disseram que Bogdanovic lutou em Vukovar, cidade do leste croata que foi destruída por uma grande ofensiva sérvia, cenário do maior derramamento de sangue durante a guerra pela independência da Croácia, entre 1991 e 1995. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Sérviadisparosmortos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.