Jackson Njehia/Reuters
Jackson Njehia/Reuters

Homem é encontrado com vida dois dias após naufrágio de balsa na Tanzânia

O engenheiro Augustine Charahani estava dentro de uma bolha de ar, no interior da embarcação que flutuava completamente virada; número de mortos chega a 218

O Estado de S.Paulo

22 Setembro 2018 | 09h54
Atualizado 22 Setembro 2018 | 20h14

DAR ES SALAM, TANZÂNIA - As equipes de resgate da Tanzânia encontraram neste sábado, 22, um homem com vida no interior da balsa que naufragou há dois dias no Lago Vitória, no norte do país. Com ele, são 41 sobreviventes. O engenheiro Augustine Charahani encontrava-se em uma bolha de ar dentro da embarcação, que flutuava completamente virada, disse o governante da região de Mwanza, John Mongella.

Equipes de busca recuperaram 60 corpos, o que elevou o número de mortos para 218, segundo autoridades locais. As operações continuam e calcula-se que o número de mortes possa ultrapassar 300.

A balsa MV Nyerere naufragou na tarde de quinta-feira, a 50 metros do porto onde atracaria, enquanto percorria uma rota entre as ilhas Ukerewe e Ukara. Cerca de 400 pessoas estavam a bordo, sendo que a capacidade máxima era de 100 pessoas e 25 toneladas de carga.

Vários sobreviventes afirmaram que o capitão da balsa estava falando ao telefone quando percebeu que a embarcação ia na direção errada.

"Quando nos aproximamos do porto de Ukara, vimos que ele estava indo para a esquerda e a área de desembarque estava à direita. De repente, ele deu uma guinada", disse o sobrevivente Ochori Burana à rádio estatal TBC1.

O giro brusco, de acordo com o relato, fez com que algumas pessoas caíssem no mar, e o barco girasse para o outro lado, virando. Segundo as investigações preliminares, reveladas nesta sexta-feira pelo chefe de gabinete John Kijazi, a balsa naufragou porque "ia sobrecarregada".

O presidente da Tanzânia, John Magufuli, ordenou a prisão dos responsáveis pela balsa. "Eu ordenei a prisão de todas as pessoas envolvidas na administração da balsa. E as prisões já começaram."

Tragédias na Tanzânia

A Tanzânia tem registrado vários desastres náuticos em razão da superlotação de veículos de transporte marítimo. Em 2012, pelo menos 145 pessoas morreram quando uma balsa lotada afundou enquanto transportava pessoas para a ilha de Zanzibar, no Oceano Índico.

No ano anterior, quase 200 pessoas morreram em outro grande acidente na costa de Zanzibar. Em 1996, mais de 800 pessoas morreram quando o MV Bukoba virou, também no Lago Vitória, que ocupa parte do território de Uganda e do Quênia. / EFE

Relembre: tragédia no Mediterrâneo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.