Albeiro Lopera/ REUTERS - 15/1/2013
Albeiro Lopera/ REUTERS - 15/1/2013

Homem é preso em Bogotá com mais de 400 rãs venenosas que planejava traficar para o Brasil

Cada animal pode chegar a custar US$ 500 mil; animais seriam possivelmente reencaminhados para a Europa ou Ásia

AFP e EFE, O Estado de S.Paulo

14 de abril de 2019 | 02h13

A polícia colombiana descobriu neste sábado um homem que planejava viajar para o Brasil com 424 rãs venenosas do aeroporto internacional de El Dorado, em Bogotá. Cada rã, das espécies Oophaga lehmanni e Oophaga histriônica, pode chegar a valer US$ 500 mil.

"É a maior apreensão de fauna selvagem protegida" já feita no principal terminal aéreo da Colômbia, disse o coronel Javier Martín, vice-comandante da polícia de Bogotá.

O embarque incomum foi levado por um homem que havia deixado a cidade de Cali e estava indo para São Paulo após uma escala em Bogotá. Ao passar por um scanner de controle, a polícia detectou que o suposto traficante transportava os anfíbios de espécies ameaçadas de extinção.

As rãs foram retiradas de seu habitat natural, nos departamentos de Chocó e Valle del Cauca, no noroeste e sudoeste da Colômbia, respectivamente, acrescentou a Secretaria. De aspecto muito colorido, os anfíbios seriam levados para o Brasil, mas provavelmente para serem enviados à Europa ou Ásia.  Removidas de seu habitat, essas rãs já não envenenam e  acabam sendo exibidas ou usadas como animais de estimação.

O homem que foi preso com o carregamento de rãs poderá ser condenado de cinco a nove anos por tráfico ilegal de espécies protegidas, segundo as autoridades.

A Secretaria do Meio Ambiente de Bogotá informou pelo Twitter que os animais foram colocados em cilindros de filme fotográfico.

Notícias relacionadas
    Tudo o que sabemos sobre:
    tráfico de animais

    Encontrou algum erro? Entre em contato

    O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.