REUTERS/Michaela Rehle
REUTERS/Michaela Rehle

Homem esfaqueia 4 pessoas em estação de trem perto de Munique e é detido pela polícia

Um homem morreu e três pessoas ficaram feridas após jovem de 27 anos, sem antecedentes criminais e de nacionalidade alemã, realizar ataques com faca aos gritos de ‘Alá é grande’

O Estado de S. Paulo

10 Maio 2016 | 08h18

BERLIM - Um homem foi detido nesta terça-feira, 10, perto da cidade de Munique, no sul da Alemanha, após atacar quatro pessoas com uma faca em uma estação de trem aos gritos de "Allah akbar" (“Alá é grande”), informaram o jornal Süddeutsche Zeitung e a emissora Bayerische Rundfunk. Um indivíduo morreu em razão dos ferimentos graves e três ficaram feridas, segundo o canal ARD.

As forças de segurança detiveram o suspeito por volta das 5h (0h em Brasília), ao lado da estação de Grafing, no município de Ebersberg, pouco depois da agressão.

O jornal Bild acrescentou que tanto o Escritório de Investigações Criminais da Baviera como a procuradoria estadual estão cuidando do caso.

O agressor é um homem de 27 anos, sem antecedentes criminais e de nacionalidade alemã, explicou Hans-Peter Kammerer, porta-voz da polícia. O jovem não explicou os motivos que o levaram a cometer o ataque e a polícia explicou que até o momento o detido não cooperou com os investigadores.

A estação de Grafing permanece fechada e a circulação de trens está interrompida, já que a polícia está investigando o "cenário de um crime", explicou um porta-voz da polícia de Oberbayern Nord. O foco dos investigadores na plataforma da estação é a análise dos resquícios de sangue deixados pelo ataque.

Motivações. As forças de segurança alemãs investigam uma suposta motivação política no esfaqueamento múltiplo em Grafing, no Estado da Baviera, mas também não descartam que o agressor tenha problemas mentais ou que seja dependente químico.

O ministro do Interior do Estado federado da Baviera, Joachim Herrmann, disse à imprensa no local do ataque que "ainda é preciso esclarecer até que ponto há outras motivações ou outras questões como perturbações (mentais) ou dependência às drogas".

A procuradoria estadual de Munique havia informado pouco antes em comunicado que "o agressor fez declarações no local que levam a deduzir uma motivação política", em relação aos gritos de "Allah akbar". A polícia trabalha com todas as hipóteses por enquanto.

Herrmann informou depois, no entanto, que, segundo as primeiras investigações, o esfaqueamento não tem indícios de ataque islâmico. Em declarações à imprensa após uma reunião do governo bávaro em Munique, ele explicou que presumivelmente o agressor tem problemas psiquiátricos e de dependência química.

De acordo com a primeira reconstituição do crime, descrita pelo porta-voz do Departamento de Criminalística (LKA) da Baviera, Karl-Heinz Segerer, à emissora de notícias "N24", o agressor chegou à estação de trem de Grafing pouco antes das 4h50 (23h50 de segunda-feira em Brasília). Depois, entrou em um trem e atacou com uma faca de 10 centímetros pelas costas a primeira vítima, um homem de 50 anos que morreu no hospital.

Em seguida, voltou às plataformas da estação e esfaqueou a segunda vítima, que ficou gravemente ferida. Logo depois, o indivíduo foi à praça em frente à estação e atacou dois ciclistas. Os três feridos, segundo o comunicado da procuradoria, têm 58, 43 e 55 anos, tinham intenção de ir a Munique para trabalhar e agora estão em diferentes hospitais da região. /EFE

Mais conteúdo sobre:
Alemanhaataquefaca

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.