Homem mais rico da Rússia passa a noite na cadeia

O bilionário Mikhail Khodorkovsky, acusado de fraude e sonegação fiscal, passou sua primeira noite sob custódia numa cadeia superlotada, informa a agência de notícias Interfax. Khodorkovsky, que lidera a maior companhia russa de petróleo, a Yukos, é considerado o homem mais rico da Rússia e foi capturado por forças federais russas num aeroporto da Sibéria. Ele foi levado a Moscou, interrogado e indiciado, numa escalada que, segundo observadores, parece ter fundo político. Khodorkovsky é fundador de dois partidos de oposição.O advogado do executivo, Anton Drel, disse que a ordem judicial determina que Khodorkovsky fique detido por até dois meses. O porta-voz da Yukos, Alexander Shadrin, confirmou que o magnata estava detido na temida Matrosskaya Tishina. As casas de detenção onde são mantidos os russos que aguardam julgamento têm a reputação de serem piores que as penitenciárias dos condenados. Segundo vice-ministro da Justiça Yuri Kalinin, a Matrosskaya Tishina abriga 3.500 detentos, para uma lotação de 2.500.Promotores dizem que Khodorkovsky e Platon Lebedev, presidente da holding que é a principal acionista da Yukos, causaram danos de US$ 1 bilhão ao Estado russo. Lebedev foi detido em julho e continua preso.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.