Homem mata a namorada, mais 9 pessoas e se suicida

Indignado por ter sido rejeitado pela namorada, um guarda de segurança assassinou a tiros anamorada e mais nove pessoas e depois se matou, em Mdantasane, subúrbio de East London, a cerca de 900 quilômetros da Cidade do Cabo, na África do Sul, informou hoje a polícia. Outras sete pessoas ficaram gravemente feridas no tiroteio no sábado à noite. Bulelani Vukwana, de 29 anos, e sua namorada, Nulovuyo Mbenya tiveram uma briga no sábado durante a qual ela pôs fim ao relacionamento, contou o porta-voz da polícia, Stephen Marais.Testemunhas disseram à polícia que Vukwana foi à casa de Mbenya para tentar persuadi-la a voltar para ele mas, depois de uma discussão, ele alvejou-a na cabeça à queima-roupa. Maraiscontou que Vukwana, então, foi até um bar ao lado da casa da namorada e feriu a tiros o proprietário. Depois, foi para a parte de trás do bar e matou a tiros mais um homem. Ele voltou para a rua, onde encontrou Lulamile Phantsi, que fora chamado à cena para ajudar. Vukwana atirou no pescoço delee fugiu na pick up dele. Pouco depois, retornou à casa da namorada, alvejando e matando o pai dela, Maxanjana Mbenya. "Depois disso, foi tomado inteiramente pela violência e atirou em todo mundo que viu", prosseguiu Marais.Testemunhas contaram ao Daily Dispatch, um jornal de East London, que Vukwana alvejou dois carros, matando o motorista de um e dois passageiros do outro, antes de sair atirando aleatoriamente nos pedestres. Perseguido pela polícia, Vukwan percebeu que não conseguiria escapar e, apontando a arma para sua têmpora, apertou o gatilho, contaram testemunhas. A África do Sul tem um dos piores índices de criminalidade do mundo. Segundo números da polícia, nos primeiros nove meses do ano passado, 15.054 pessoas foram assassinadas, com uma média de 54 pessoas por dia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.