Homem na China pode ter sido contaminado por gripe aviária

A China apurou um caso de suspeita de contaminação humana pelo vírus H5N1, ou gripe aviária, em uma cidade no sul do país que faz fronteira com Hong Kong, afirmaram autoridades nesta sexta-feira.

REUTERS

30 de dezembro de 2011 | 18h16

O paciente, um homem de 39 anos residente de Shenzhen, apresentou os sintomas em 21 de dezembro e deu entrada no hospital em 25 de dezembro devido a uma forte pneumonia, afirmou o Centro de Proteção à Saúde de Hong Kong em comunicado. No momento, seu estado é crítico.

O Ministério de Saúde da China afirmou que testes laboratoriais preliminares sobre as amostras do paciente feitas pelo Centro de Controle e Prevenção de Doenças da Província de Guangdong apontaram um resultado positivo para o H5N1.

Cerca de 10 dias atrás Hong Kong abateu 17 mil frangos em um mercado de aves por atacado e suspendeu todas as importações de aves vivas da China continental durante 21 dias após um teste de uma galinha morta no local apresentar resultado positivo para o H5N1.

O vírus é normalmente encontrado em aves, mas pode infectar humanos. Pesquisadores temem que ele possa sofrer uma mutação para uma forma que se espalhe entre pessoas ao redor do mundo e mate milhares.

Nos últimos meses o vírus foi detectado em várias partes do mundo, mas principalmente no leste da Ásia durante os meses mais frios.

Autoridades na China estão especialmente temerosas quanto à disseminação de doenças infecciosas neste momento do ano, quando milhares de chineses viajam em ônibus lotados pelo país a fim de ir para casa comemorar o Ano Novo Lunar.

O atual vírus H5N1 é altamente patogênico e mata até 60 por cento das pessoas que infecta. Desde 2003 ele infectou 573 pessoas ao redor do mundo, matando 336.

(Reportagem de Alison Leung)

Tudo o que sabemos sobre:
CHINAGRIPEAVIARIAHOMEM*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.