Homem negro é morto pela polícia após esfaquear judeu em NY

Moni Ender, rabino e porta-voz da sinagoga onde o incidente ocorreu, disse a uma rádio que o ataque tem motivação antissemita

O Estado de S. Paulo

09 de dezembro de 2014 | 12h51

NOVA YORK, EUA - A polícia matou um homem negro de 49 anos que feriu com uma faca de cozinha um estudante judeu em uma sinagoga no Brooklyn, em Nova York, na madrugada desta terça-feira, 9, informou um porta-voz.

O ataque ocorreu na sede mundial da comunidade hassidista Chabad Lubavitch, um ramo do judaísmo ortodoxo, em torno das 1h40 (4h40 de Brasília), informou Adam Navarro, porta-voz da polícia de Nova York. Os policiais, que chegaram ao local rapidamente, tentaram desarmar o homem, mas ele se lançou sobre eles.

O rabino Moni Ender, porta-voz da comunidade Lubavitch em Israel, disse a uma rádio que, aparentemente, o ataque não tinha motivos anti-semitas. "Nós podemos garantir que estamos 98% seguros de que não se trata de um ato premeditado de ódio ou motivado por nacionalismo", disse ele.

A sinagoga onde ocorreu o ataque permanece aberta 24 horas por dia e durante a noite é frequentemente utilizada por moradores de rua como abrigo. "Aparentemente, houve uma briga no curso da qual o agressor puxou a faca", contou o rabino. / AFP

Mais conteúdo sobre:
EUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.