'Homem-pássaro' cai no mar durante tentativa de voo

Um aventureiro suíço caiu em segurança nas águas frias entre o Marrocos e a Espanha, após um problema técnico acabar com a primeira tentativa de voo intercontinental de um homem com asas a jato. Um helicóptero de resgate retirou Yves Rossy das águas e o levou para um local seguro.

AE-AP, Agencia Estado

25 Novembro 2009 | 17h56

O "homem-pássaro" Rossy, de 50 anos, é um ex-piloto militar. Ele decolou de Tânger, no Marrocos, mas esteve nas câmeras durante apenas cinco minutos, num voo planejado de 15 minutos. Rossy caiu no meio do Estreito de Gibraltar, mas durante dez minutos ninguém soube onde ele estava.

"A boa notícia é que ele está bem", disse Stuart Sterzel, executivo-chefe da Webtel.mobi, patrocinadora do voo do "homem-pássaro", na cidade espanhola de Atlanterra, onde Rossy deveria pousar.

Sterzel disse que houve um problema nas asas, possivelmente uma falha nos motores a jato, mas comentou que Rossy abriu o paraquedas e isso evitou sua morte. Ele conseguiu pousar nas águas de uma maneira controlada.

Decolagem e voo

As coisas começaram bem. Como planejado, Rossy ficou perto da porta de um pequeno avião que o levou aos céus, e depois pulou, caindo 500 metros antes de acionar o motor a jato da asa e começar a voar a uma velocidade de 220 quilômetros por hora, a uma altitude de 1.950 metros.

A asa não tem mecanismo de direção. Rossy guiou o voo com os movimentos do próprio corpo. Num momento, Rossy desapareceu no meio de uma nuvem. Abaixo dele, um barco de apoio zarpou do Marrocos para a Espanha. Sterzel disse que Rossy caiu quando já havia feito um terço do trajeto, mas que foi uma decisão dele fazer o pouso nas águas após perceber o problema técnico.

"Ele é um homem de coragem" disse Sterzel. Rossy foi levado a um hospital na cidade vizinha de Jerez de la Frontera, somente para um check-up de precaução. "Ele é um herói, apenas por ter tentado", disse Sterzel.

A Guarda Costeira Espanhola disse que tentará recuperar a asa e o paraquedas no mar. Rossy tentou atravessar da África para a Europa usando uma asa caseira que ele mesmo construiu, com 2,5 metros de envergadura e propelida por quatro motores a jato, alimentados a querosene.

Rossy fez um voo experimental com a asa em 2008, sobre os Alpes, até pousar na margem leste do Lago de Genebra. O "homem-pássaro" realizou seu primeiro voo internacional de sucesso também no ano passado, quando voou com a asa de Calais, na França, a Dover, na Inglaterra.

Mais conteúdo sobre:
homem-pássaro mar voo queda

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.