Leila Navidi/Star Tribune via AP
Leila Navidi/Star Tribune via AP

Homem que agiu em shopping de Minnesota não tem ligações com grupos extremistas

Dahir Ahmed Adan, um americano de origem somali de 20 anos, feriu 10 pessoas com uma faca em um centro comercial de St. Cloud

O Estado de S.Paulo

21 de setembro de 2016 | 11h40

CHICAGO, EUA - A polícia americana não encontrou fatos que ligassem o homem que atacou a faca diversas pessoas em um shopping de Minnesota a grupos extremistas organizados, apesar de o grupo jihadista Estado Islâmico (EI) ter reivindicado a autoria do atentado.

As polícias federal e local continuam investigando um possível "ato de terrorismo", depois que Dahir Ahmed Adan, um americano de origem somali de 20 anos, feriu 10 pessoas com uma arma branca em um centro comercial de St. Cloud, no Estado de Minnesota, no sábado.

"Por enquanto não encontramos algo que possa sugerir nada mais do que o fato de ser um criminoso solitário", disse à imprensa na segunda-feira à noite o chefe de polícia de St. Cloud, William Blair Anderson.

Ele advertiu que a investigação ainda está aberta e que os oficiais estão rastreando a vida de Adan em busca de alguma pista. Um porta-voz do FBI (a polícia federal americana) deu a mesma advertência. "Como parte de nossa investigação, estamos analisando com cuidado as possíveis motivações de o senhor Adan ter se envolvido nesse ataque", disse o porta-voz, Kyle Loven.

Segundo Anderson, a polícia não viu até o momento "nada que sugerisse que há uma conexão” com as explosões registradas em Nova York e New Jersey também no sábado. / AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.