Homem que alega ter bomba mantém refém na Austrália

A polícia da Austrália tenta negociar com um homem que invadiu o escritório de um advogado em um prédio em Sydney e alega ter uma bomba em uma mochila. Ele mantém uma adolescente como refém, que supostamente seria sua filha.

AE, Agência Estado

06 Setembro 2011 | 08h26

Segundo o comissário assistente de polícia, Denis Clifford, a criança parece estar bem. Ele disse acreditar que o caso não tem nada a ver com o tribunal de família anexo ao prédio.

O homem que alega ter a bomba fez várias demandas, mas a polícia se recusou a revelar detalhes e disse que ainda não sabe o motivo que o levou a essa situação. O prédio foi evacuado. Cinco ambulâncias e dois caminhões dos bombeiros estão no local. Pelo menos um policial armado foi visto entrando no edifício. "Nós estamos trabalhando nas demandas com ele, e estamos fazendo o melhor que podemos para garantir uma resolução pacífica", afirmou Clifford.

Imagens de emissoras de TV da Austrália mostram o homem, que aparenta ter 50 anos, aparecendo por trás de uma janela quebrada no segundo andar do prédio, sem camisa. A polícia disse que conversou com a menina e ela parece estar bem.

A polícia se recusou a comentar informações divulgadas pela imprensa de que o homem teria sido preso ontem em um prédio do governo por seu envolvimento em um incidente no Parlamento estadual em Sydney. A emissora Ten Network noticiou que o homem foi acusado em 1987 de ter relação com um protesto contra a morte de um aborígine que estava preso. As informações são da Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
AUSTRÁLIA REFÉM BOMBA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.