Homem que amputou mão transplantada agora quer outra

Clint Hallam, da Nova Zelândia, virou manchete ao se tornar o primeiro paciente no mundo a ter uma mão transplantada. Tornou a ser manchete quando a mesma mão foi amputada a seu pedido. Nesta segunda-feira, seus médicos anunciaram que ele mudou de idéia e agora quer uma outra mão. Hallam, de 51 anos, perdeu sua mão direita em um acidente com uma serra elétrica 17 anos atrás. Em 1998, uma equipe de cirurgiões em Lyon obteve de um falecido doador uma mão compatível com o antebraço de Hallam, colocada em histórica operação. Mas Hallam enfureceu os especialistas por não comparecer às consultas regulares e se recusar a usar os medicamentos necessários ao sucesso do transplante. Ele disse que seu corpo havia rejeitado a mão e que ele se havia "separado mentalmente" dela. Em fevereiro, a mão foi amputada a seu pedido. Os médicos alegaram que a recusa de Hallam em seguir o tratamento, tanto a medicação como a fisioterapia intensiva, resultaram em complicações que levaram o organismo a rejeitar o transplante. Agora, no entanto, o neozelandês aparentemente quer fazer nova tentativa. "Hallam enviou um e-mail a Nadey Hakim, pedindo uma nova mão para ser transplantada", disse o Profesor Jean-Michel Dubernard, chefe da equipe responsável pelo transplante, da qual Hakim faz parte. Segundo Dubernard, Hallam perdeu sua chance. As autoridades médicas agora decidiram que só as operações de transplante consideradas vitais podem ser realizadas - como, por exemplo, o caso de um paciente que tenha perdido as duas mãos.

Agencia Estado,

14 Janeiro 2002 | 18h19

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.