Derik Holtmann/Belleville News-Democrat, via AP
Derik Holtmann/Belleville News-Democrat, via AP

Homem que atirou em deputado republicano agiu sozinho e era perturbado, diz FBI

'Ele tinha problemas em todos os campos de sua vida: problemas no casamento, desemprego e vício em remédios', diz porta-voz da polícia

O Estado de S.Paulo

21 de junho de 2017 | 12h16

WASHINGTON  - O homem que abriu fogo contra um jogo de beisebol entre deputados republicanos na semana passada, na Virgínia, agiu sozinho e não tinha motivações terroristas, anunciou o FBI nesta quarta-feira, 21. Investigações indicam que James T. Hodgkinson, de 66 anos, tinha problemas pessoais e agiu por "desespero" e o ataque do dia 14 foi um episódio isolado. 

"Ele tinha problemas em todos os campos de sua vida", disse o porta-voz do FBI Timothy R. Slater. "Problemas no casamento, desemprego e vício em remédios."

O atirador tinha um depósito alugado com mais de 200 cartuchos de munição que, segundo os investigadores, ele visitava diariamente. Ele morreu durante o ataque, baleado por policiais. O deputado republicano Steve Scalise ficou gravemente ferido.  

Desde o tiroteio, o FBI tem investigado as motivações de Hodgkinson e ainda não encontraram uma. O desempregado se dizia partidário do democrata Bernie Sanders, pré-candidato derrotado nas primárias do partido no ano passado. 

Sua mulher disse à polícia que ele saiu Belleville, onde moravam, para Washington "para trabalhar em um projeto de política fiscal. Na cidade, ele foi visto criticando o presidente Donald Trump em uma conversa numa mecânica de carros. / WASHINGTON POST

 

Tudo o que sabemos sobre:
VirgíniaBernie SandersDonald Trump

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.