Homem que atirou em frente à Casa Branca parecia normal, dizem vizinhos

Um homem que empunhava uma arma em frente à Casa Branca foi baleado nesta quarta-feira por um agente do serviço secreto, disseram autoridades locais, num episódio que gerou o reforço da segurança no local.O presidente George W. Bush estava seguro em sua residência, fazendo exercícios, no momento do incidente.O vice-presidente Dick Cheney trabalhava em seu gabinete. Laura Bush encontrava-se no sítio da família, em Crawford, Texas.Homem que atirou tem 47 anosO homem ferido chama-se Robert W. Pickett, de 47 anos, de Evansville, Estado de Indiana, disseram funcionários do governo norte-americano. Ele foi levado ao Hospital Universitário George Washington, situado nas proximidades, onde foi submetido a uma cirurgia. Oficiais do serviço secreto ouviram disparos por volta das 15h30 (horário de Brasília), quando faziam uma patrulha, informou o secretário de imprensa da Casa Branca Ari Fleischer.Eles viram um homem empunhando uma arma a certa distância do muro sudoeste da Casa Branca."Nenhum disparo"Os oficiais enfrentaram "um impasse de cerca de 10 minutos, seguido por um tiro contra o joelho direito do suspeito, que foi detido em seguida", comentou Fleischer. De acordo com ele, o ferimento não representava risco à vida do homem armado.Marc Connolly, porta-voz do serviço secreto, disse que um agente disparou um tiro, atingindo o joelho direito do homem armado, e nenhum disparo foi efetuado pelo suspeito em seu encontro com a polícia. No entanto, oficiais investigavam se o homem disparou algum tiro antes de a polícia notá-lo e aproximar-se dele em frente à grade sudoeste da Casa Branca.Fontes policiais disseram sob condição de anonimato que as autoridades responsáveis estavam investigando a possibilidade de o homem estar tentando provocar um tiroteio com a polícia."Homem amistoso"O suspeito, portador de uma pistola, não foi listado nos arquivos do serviço secreto como uma ameaça conhecida contra o presidente, prosseguiram as fontes. Os vizinhos de Pickett descreveram o suspeito como um homem amistoso, um contador que vivia numa casa modesta em Evansville e mantinha um pasto. Ele praticava exercícios com freqüência. "Fiquei realmente surpreso. Pelo que eu o conhecia, parecia um vizinho normal", disse Lewis Gates."Estrondo"Agentes do serviço secreto utilizavam detetores de metal com o objetivo de encontrar cápsulas de balas e determinar quantos disparos ocorreram durante o incidente.Connolly disse que o homem estava "empunhando uma arma". Uma testemunha contou ter ouvido um estrondo, seguido por uma fumaça. Depois disso, os oficiais do serviço secreto "disseram a ele para baixar a arma" e sentar-se. Depois, ele "sentou-se lentamente no gramado", relatou a testemunha, Sook Jo. Dan Halpert, um turista de Nova York, seguia em direção ao Museu do Holocausto por uma calçada tangente à Casa Branca quando policiais disseram a ele para sair da área. "Todos estavam fugindo com pressa. Foi assustador", comentou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.