Homem que jogou granada em Bush pega prisão perpétua

Um tribunal da Geórgia condenou um homem a prisão perpétua, por tentativa de assassinato. O réu era acusado de jogar uma granada num comício do qual participavam o presidente dos EUA, George W. Bush, e o presidente georgiano, MikhailSaakashvili. O tribunal também condenou Vladimir Arutyunian pelo assassinato de um policial. Bush e Saakashvili discursavam para uma multidão em Tbilisi, protegidos por uma barreira à prova de balas, quando a granada, enrolada num tecido, caiu a 30 metros do local onde estavam. Ela não explodiu, e investigadores dizem que o dispositivo apresentou defeito. Ninguém ficou ferido.Arutyunian acabou preso depois de um tiroteio que deixou um policial morto. Depois, televisão georgiana exibiu imagens de Arutyunian admitindo ter jogado a granada, arremessando-a para o alto, para que o vidro à prova de balas não bloqueasse a trajetória dos estilhaços.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.