Homem que jogou tinta em retrato de Mao é libertado

Um homem detido por jogar tinta em um retrato de Mao Tsé-tung durante as manifestações pró-democracia de 1989 na China foi libertado depois de quase 17 anos na prisão, informou sua família nesta quinta-feira.A libertação de Yu Dongyue ocorreu na manhã de ontem, semanas antes de uma visita do presidente da China, Hu Jintao, aos Estados Unidos. Entretanto, parece que não se tratar de uma medida para agradar aos EUA, pois Dongyue cumpriu integralmente sua sentença.Acredita-se que pelo menos 70 pessoas ainda estejam detidas por terem participado dos protestos de 1989. O ataque ao retrato de Mao ocorreu em 23 de maio daquele ano, quando milhares de manifestantes participavam de um protesto na Praça da Paz Celestial.Dongyue e mais dois manifestantes jogaram tinta no retrato e foram entregues à polícia por seus próprios companheiros de manifestação, que não concordaram com o ato de vandalismo. Os outros dois jovens condenados ao lado de Yu foram libertados há anos.Yu, de 38 anos, retornou à casa de sua família em Shegang, na província sulista de Hunan, revelaram seu pai e seu irmão. "Ele está bem de saúde, mas parece traumatizado", disse Yu Xiyue, irmão de Dongyue, durante conversa por telefone com a Associated Press.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.