Homem que revelou programa nuclear de Israel é preso

Mordechai Vanunu, o homem que denunciou o suposto programa nuclear de Israel, será colocado em prisão domiciliar após ser acusado de violar a condicional da sua libertação em 2004.

AE-AP, COM DOW JONES, Agencia Estado

29 de dezembro de 2009 | 18h16

O porta-voz da polícia de Israel, Micky Rosenfeld, disse que Vanunu se reuniu com "vários estrangeiros", algo que ele estava proibido de fazer, por temor das autoridades de que Vanunu revele informações secretas.

Ex-técnico de uma usina nuclear israelense, Vanunu passou fotos e informações técnicas da usina na qual trabalhou ao diário britânico ''The Sunday Times'' em 1986. Agentes da polícia secreta de Israel sequestraram Vanunu em Roma e o levaram a Israel, onde ele passou 18 anos na prisão. O advogado de Vanunu, Avigdor Feldman, disse que ele foi preso porque teve um encontro com sua noiva norueguesa, a quem a polícia já havia interrogado. Vanunu foi detido ontem à noite num hotel em Jerusalém.

Um porta-voz do tribunal disse que Vanunu deverá sair da prisão hoje e cumprirá prisão domiciliar até quinta-feira. Ao ser libertado em 2004, Vanunu foi proibido de sair de Israel e manter contatos não autorizados com estrangeiros.

Israel nunca admitiu ter um programa de armas nucleares, mas especialistas chegaram à conclusão, a partir de informações divulgadas por Vanunu, de que o país tem o sexto maior arsenal nuclear do mundo, com cerca de 200 ogivas atômicas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.