Homem que tentou se imolar na Casa Branca é informante do FBI

O homem que ateou fogo no próprio corpo, em frente à Casa Branca, é um informante do FBI insatisfeito por não poder viajar ao Iêmen, seu país natal, para ver a mulher que está com câncer. Mohamed Alanssi, de 52 anos, chegou à Casa Blanca às 14h (horário local) de segunda-feira com uma carta para o presidente George W. Bush. Depois de rápida conversa com agentes do serviço secreto, acendeu um isqueiro e tentou se imolar. Os agentes apagaram imediatamente as chamas, mas, mesmo assim, Alanssi sofreu queimaduras em várias partes do corpo. Sua vida não corre risco. O Washington Post informou ter recebido na manhã de segunda-feira um fax de Alanssi, que também usa o nome Mohamed Alhadrami, contando seus planos. Depois, ainda telefonou ao jornal dizendo: "Vou queimar meu corpo em um lugar inesperado." Segundo o Post, o homem mandou um fax ao seu contato no FBI, em Nova York. Em 2003, Alanssi foi tema de uma matéria do Post, onde descreveu seu papel como informante do FBI e deu detalhes sobre setores que financiam terroristas do Iêmen. Recentemente, vinha se queixando por não poder viajar ao Iêmen para ver a mulher doente. Dizia também que o FBI não havia cumprido a promessa de manter sua atividade como informante em segredo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.