AP
AP

Homem se rende após sequestrar avião na Jamaica

Sequestrador de Boeing canadense, descrito como 'portador de doença mental', exigia ser levado a Cuba

Agências internacionais,

20 de abril de 2009 | 08h35

Um homem armado e descrito como portador de "problemas mentais" se rendeu nesta segunda-feira, 20, após sequestrar um avião canadense na pista de um aeroporto internacional perto do balneário da Baía de Montego, na noite de domingo. O "jovem com problemas mentais exigia ser levado a Cuba", disse o ministro da Informação jamaicano, Daryl Vaz

 

À princípio, ele soltou os 174 passageiros, mas mantinha seis tripulantes reféns no Boeing 737. Ninguém ficou ferido, de acordo com as autoridades. Os policiais e soldados jamaicanos rodearam o avião, enquanto seguiam as negociações com o sequestrador, informou a porta-voz da polícia Camille Tracey.

 

Na noite de domingo, o homem armado ultrapassou os cordões de isolamento e entrou no avião, segundo um comunicado emitido pela polícia da Jamaica. O avião havia chegado de Halifax, na Nova Escócia, e tinha programada uma escala em Santa Clara, Cuba, antes de retornar ao Canadá. Christian Gosselin, um passageiro do voo, disse a seu pai que o sequestrador pedia dinheiro a todos os ocupantes, informou a rede CNN.

 

O pai do jovem armado estava contribuindo com as negociações, segundo o ministro. Vaz acrescentou que o homem é jamaicano e tem cerca de 20 anos. Não deu mais detalhes sobre o estado mental dele. O primeiro-ministro da Jamaica, Bruce Golding, falou com todos os passageiros após eles serem interrogados pela polícia. Já primeiro-ministro canadense, Stephen Harper, na Jamaica para uma visita de um dia, foi acordado por seus auxiliares e estava a par das negociações, segundo a agência de notícias Canadian Press.

 

(Matéria atualizada às 9h25)

 

Tudo o que sabemos sobre:
Jamaicasequestro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.