Flavio Lo Scalzo/AFP
Flavio Lo Scalzo/AFP

Homem sequestra ônibus com 51 estudantes na Itália em protesto contra governo

Motorista tentou furar um bloqueio da Polícia e acabou batendo o veículo; ele incendiou o ônibus após o acidente

Agência Ansa, ANSA

20 de março de 2019 | 10h45

MILÃO - Um cidadão ítalo-senegalês sequestrou e incendiou um ônibus escolar em San Donato Milanese, nos arredores de Milão, nesta quarta-feira, 20, para protestar contra as mortes de migrantes no Mar Mediterrâneo.

Ousseynou Sy, 47 anos, raptou o veículo, que levava 51 alunos de um colégio da cidade de Crema, e o incendiou com gasolina em uma estrada de San Donato. Segundo um professor que estava com os jovens, o agressor queria seguir até o Aeroporto de Linate.

De acordo com o mesmo docente, Sy, que tem cidadania italiana desde 2004, criticava as políticas migratórias do governo italiano. "Quero acabar com isso, é preciso impedir as mortes no Mediterrâneo", teria dito o sequestrador, segundo a primeira reconstrução feita pela polícia.

Dois adultos e 12 alunos foram levados para um hospital com sintomas de intoxicação, mas ninguém ficou ferido. Sy, por sua vez, foi detido e internado em um hospital de Milão. A dinâmica do ataque ainda é incerta, mas os relatos apontam que o ítalo-senegalês era o motorista do ônibus, que levava os jovens de volta à escola após uma excursão.

Em determinado momento, Sy teria mudado a rota e, dirigindo-se aos estudantes com uma faca na mão, dito: "Vamos a Linate, ninguém mais desce". Um dos alunos então teria usado o celular para alertar os pais, que acionaram a polícia.

O motorista ainda tentou furar um bloqueio da Polícia, mas perdeu o controle do ônibus, que se chocou contra uma mureta. Sy então espalhou gasolina pelo veículo e o incendiou, porém os policiais conseguiram retirar todos os passageiros em segurança.

"A coisa importante é o desfecho feliz de um evento que poderia ter provocado um fim trágico graças à coragem dos jovens", disse o comandante Luca De Marchis.

De acordo com o ministro do Interior da Itália, Matteo Salvini, o agressor tinha antecedentes penais por dirigir embriagado e violência sexual. "Um senegalês com cidadania italiana ao volante de um ônibus escolar, com antecedentes por dirigir embriagado e violência sexual, sequestrou o veículo e o incendiou. Gostaria de saber por que uma pessoa com tal histórico dirigia um ônibus com jovens", questionou.

Salvini é o responsável pelo endurecimento das políticas migratórias da Itália, cujo governo fechou os portos para pessoas resgatadas no Mar Mediterrâneo. Desde o início do ano, apenas 398 migrantes conseguiram concluir a travessia, queda de 93,54% em relação ao mesmo período de 2018.

Segundo a Organização Internacional para as Migrações (OIM), ao menos 153 indivíduos já morreram ou desapareceram no Mediterrâneo Central em 2019.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.