Homenagens internacionais marcam adeus a Vieira de Mello

Amigos, parentes e personalidades do mundo político e cultural deram seu último adeus a Sérgio Vieira de Mello, morto há dez dias no Iraque. O corpo do brasileiro foi enterrado em Genebra, após ter sido homenageado em Bagdá, Rio de Janeiro e na própria Suíça. A cerimônia, reservada apenas para a família e amigos, recebeu a atenção de todo o mundo e personalidades como o presidente da França, Jacques Chirac, e Xanana Gusmão, presidente do Timor Leste, enviaram coroas de flores a Genebra em homenagem ao brasileiro.Vieira de Mello foi enterrado no cemitério dos Reis, reservado apenas para grandes personalidades que passaram por Genebra. As bandeiras do Brasil e da ONU, que acompanhavam o caixão até a hora do enterro, foram entregues ao final da cerimônia aos filhos do diplomata.Antes, uma missa em homenagem a Vieira de Mello foi realizada na igreja de São Paulo, também em Genebra, sob forte segurança e que foi pequena para receber os mais de 350 convidados. Do lado de fora, jornalistas de todo o mundo acompanhavam a movimentação dos convidados. Dentro da igreja, amigos, parentes e sobreviventes do ataque contra a ONU em Bagdá tomavam o altar para, emocionados, revelar quem foi Vieira de Mello e pedir que seus sonhos não fossem abandonados com sua morte.As homenagens também continuaram após o enterro. 2 mil pessoas se reuniram em um centro de conferências em Genebra para "festejar a vida de Vieira de Mello". Cerca de vinte pessoas tomaram o microfone para falar do funcionário da ONU e a cantora lírica Barbara Hendrix, amiga de Vieira de Mello, apresentou uma canção sobre a liberdade.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.