Homens armados atacam Parlamento checheno; seis pessoas morrem

Segundo relatos, separatistas mataram 3 e depois foram coibidos pela polícia; dois insurgentes teriam se suicidado.

BBC Brasil, BBC

19 de outubro de 2010 | 08h30

Chechênia é palco de constantes ações separatistas

O Parlamento da volátil república russa da Chechênia foi invadido por homens armados nesta terça-feira, em ação que resultou em ao menos seis mortes.

Os detalhes do episódio ainda não foram esclarecidos, mas aparentemente os insurgentes entraram no local, explodiram uma bomba e atiraram, matando dois policiais e um funcionário da Casa, e depois foram mortos. Acredita-se que dois de três insurgentes identificados tenham cometido suicídio.

Investigadores na capital Grozny disseram à agência estatal russa Ria Novosti que 17 pessoas ficaram feridas. Mas autoridades afirmam que a situação já está sob controle.

A Chechênia, república ao norte do Cáucaso, viveu duas guerras separatistas nas últimas décadas. Apesar de alegações de Moscou de que a república vive relativa calma sob o governo de seu aliado, o linha-dura Ramzan Kadyrov, militantes separatistas islâmicos seguem promovendo ataques. E a violência, estimulada pela pobreza e por diferenças étnicas, continua comum na região.

Em agosto, um grupo promoveu ataques suicidas na vila Tsentroi, onde nasceu Kadyrov. E, em abril, militantes - que reivindicam um Estado checheno submetido à lei islâmica (sharia) - realizaram atentados em uma estação de metrô de Moscou, matando 39 pessoas.

Ação

Segundo fontes da agência Ria Novosti, o ataque desta terça-feira começou quando um veículo carregando insurgentes entrou no Parlamento. O tiroteio dentro da Casa teria iniciado no escritório do líder dos parlamentares, mas não há relatos de que ele tenha sido ferido.

Há relatos também de que um homem-bomba tenha se detonado no local.

O prédio foi evacuado durante o episódio.

O ministro do Interior russo, Rashid Nurgaliyev, que está em visita à Chechênia, fez uma reunião de emergência com Kadyrov para discutir o ocorrido.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Tudo o que sabemos sobre:
rússiachechêniaseparatistascáucaso

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.