Homens armados matam líder do Taleban paquistanês

Homens armados mataram um líder do Taleban paquistanês em uma região tribal perto da fronteira com o Afeganistão nesta segunda-feira, disseram funcionários da inteligência e comandantes militares paquistaneses. Asmatullah Shaheen Bitani e três assessores morreram em um tiroteio na área de Darga Mandi, no Waziristão do Norte, conforme informações de quatro oficiais e dois militantes.

Agência Estado

24 de fevereiro de 2014 | 10h53

O primo de Bitani também confirmou a sua morte e afirmou que a família estava se preparando para funeral e enterro.

Segundo os funcionários do governo, não estava claro se a responsabilidade pela morte de Bitani era de grupos militantes, forças de segurança paquistanesas ou alguém que estava em busca da recompensa do governo de 10 milhões de rupias (US$ 95 mil) por ele.

Ninguém assumiu a responsabilidade pelo ataque. Todas as autoridades falaram sob condição de anonimato, porque não estavam autorizadas a conversar com meios de comunicação.

Um parente próximo de Bitani disse que duas outras pessoas que viajavam no carro ficaram gravemente feridas.

Os agressores fugiram do local em um veículo separado, de acordo com um oficial.

Bitani, que pertencia ao conselho executivo do Taleban paquistanês, foi nomeado

chefe interino do grupo após um suposto ataque de drones dos Estados Unidos matar o seu ex-chefe, Hakimullah Mehsud, no ano passado. Contudo, Bitani já havia sido substituído no comando por outro líder, o mulá Fazlullah, escolhido pelo conselho executivo.

Enquanto isso, no noroeste do Paquistão, uma bomba colocada em um movimentado terminal de ônibus perto de uma estação de polícia matou 14 pessoas e feriu outras 15 no domingo, disseram autoridades.

A explosão tinha como alvo passageiros de um riquixá motorizado e de um micro-ônibus em Kohat, cerca de 150 quilômetros a oeste da capital, Islamabad, disse o oficial de polícia Iqbal Khan. Ninguém reivindicou imediatamente a responsabilidade pelo ataque.

Khan e oficial de polícia Fazal Naeem afirmaram que os veículos se dirigiam para uma área de maioria xiita. A suspeita era de que sunitas seriam o alvo do ataque.

O chefe da polícia provincial do noroeste, Nasir Durrani, disse que as forças de segurança têm conduzido operações de contrainsurgência na área. Fonte: Associated Press e Dow Jones.

Mais conteúdo sobre:
PaquistãoTalebanlídermorte

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.